ANTIBIÓTICOS

Cena 1: a grávida, acompanhada do marido, está entrevistando o pediatra, para saber se vai escolhê-lo como médico do seu filho que vai nascer. Ela consulta uma lista de perguntas que incluem assuntos como amamentação, cólicas, disponibilidade do pediatra nos finais de semana, opinião sobre natação para bebês e música clássica para desenvolver a inteligência. Quase no final, surge a pergunta: “Dr. o senhor gosta de antibióticos? ” e o complemento da pergunta “porque o senhor sabe que tem muito pediatra que adora antibióticos!”

Cena 2: a mãe acompanha, atentamente, ao exame que o pediatra faz em seu filho de 7 anos. O menino apresenta febre alta há 4 dias e o médico, após o minucioso exame, constata que o paciente tem uma amigdalite (infecção da garganta). Pede então um exame (strep test) para diagnosticar (ou não) a presença de uma bactéria (estreptococo). Explica tudo para a mãe e quando ele fala no estreptococo ela exclama: “Dr. por favor, antibiótico não! Tenho o maior pavor de antibióticos!”

Cena 3: a mãe entra no consultório com a sua linda filha de 10 meses, no colo. Aflita, vai dizendo: “Dr. ela está muito resfriada. O nariz está escorrendo e tosse à noite. Felizmente, febre não teve e está comendo tudo muito bem. Mas, o Sr. não acha melhor dar logo um antibiótico para prevenir uma pneumonia?”

Três cenas fictícias que bem poderiam ser verdade. Antibóticos geram reações emocionais nas pessoas. No entanto, talvez com um pouco de informação, essa reação poderia ser mais racional. Antibióticos são substâncias que têm a capacidade de matar bactérias. Bactérias são microorganismos (bichinhos muito pequenos que só podem ser vistos com microscópio) que, em determinadas situações podem produzir uma infecção nas pessoas. Dependendo da gravidade, infecções podem matar uma pessoa. Portanto, ter uma arma que possa matar bactérias e garantir a saúde das pessoas é ótimo. Não se trata de gostar ou não de antibióticos. Nenhum médico gosta de antibióticos (ou de qualquer remédio). O pediatra usa antibióticos quando seu julgamento clínico, com ou sem exames complementares, percebe uma indicação para seu uso. O uso equivocado ou abusivo de antibióticos contribui para o desenvolvimento de bactérias resistentes e a necessidade de novos antibióticos mais poderosos. Por isso que o seu uso deve ser muito criterioso. Antibióticos não servem para prevenir uma pneumonia, como no exemplo acima. Nem servem para tratar de resfriados ou viroses, muito menos devem ser utilizados como antitérmicos para combater a febre!

Portanto, da próxima vez que seu pediatra prescrever antibióticos e você quiser perguntar a respeito, pergunte sobre a indicação, que tipo de bactéria ele supõe estar em jogo. Isso quando não há uma cultura (como urina ou o tal strep test citado no exemplo), onde a bactéria está identificada. Não tema, nem ame os antibióticos. Quando bem indicados contribuem para a cura das pessoas.

Se você tem algum comentário ou dúvida sobre o uso de antibióticos, por favor me envie.

14 pensamentos sobre “ANTIBIÓTICOS

    • Prezada Dany,
      A dose de um antibiótico, em geral, se localiza em uma faixa. Depende muito do caso. Opinar sobre a prescrição de outro médico não é adequado, principalmente sem saber a história e o diagnóstico. O que eu posso lhe dizer, sem falar especificamente da sua filha é que a dose que você citou está dentro da faixa de dose habitualmente prescrita para esse antibiótico. De forma direta- em princípio,seria uma dose adequada para uma criança de 23kg.

  1. Dr. Meu filho teve uma inflamação no estomago e nos intestinos derivado abusos na alimentação e também analgésicos para dores de garganta como brufen devem ter ajudado, foi medicado 1 mes mas ainda está com estomago sensível, ainda que coma alguma coisa fora da dieta alimentar às vezes ainda sente sintomas (enfartamento, azia etc..) talvez volte a ser medicado novamente para tratar essa gastrite, com a alimentação e a medicação ele já estava muito melhor. Agora neste momento vai ter que retirar 1 dente do ciso. Em que vai ter que tomar antibiótico e analgésicos, há alguma coisa em que ele possa tomar para proteger estomago e intestinos? Já que ele também teve com os intestinos sensíveis quando comia gorduras e temperos. De entre estes brufen e benuron qual você aconselharia tomar os analgésicos? a médica diz que tanto faz, o antibiótico vai ser o clavamox.

    Pode-me aconselhar por favor? O que ele deve fazer?

    • Prezada Rosa,
      Como o blog não substitui uma consulta médica, seria irresponsabilidade minha opinar sobre o seu filho. Ninguém melhor do que a médica que o acompanha para lhe responder essas questões e lhe tranquiliza. Espero que compreenda esta limitação do blog.

  2. Boa noite. Gostaria de uma informação. Meu filho tem 2 anos de idade , estava sarando de uma gripe quando pegou influenza. Moramos no Japão. Como meu estado eh muito frio eh comum as pessoas terem esses tipos mais forte de gripe. Mas infelizmente meu filho nao queria tomar remédio. Nosso o medico tirou sangue e deu soro por 5 dias nesse soro colocava antibióticos e o tamiflu( influenza). Ele ficou 6 dias com febre alta. Só abaixava com o supositório Gracas a deus a febre baixou. Mas o minha preocupação agr q esta muito baixa. Seu normal eh 36.4 hj esta 35.2 Continuo dando o antigripais. Ou melhor parar com os remédios ??? Obrigada pela atenção. E sempre leio seus post pra ser uma mãe melhor

    • Prezada Patricia,
      Obrigado por ler o blog, de tão longe. Infelizmente, a internet ainda não substitui uma consulta. Por esse motivo, seria irresponsabilidade minha opinar sobre seu filho, sem tê-lo examinado. Sugiro que que peça orientação a seu médico. Ele é a melhor pessoa para lhe orientar.

  3. Bom dia Dr Roberto,
    Minha filha tem 5 anos, no dia 01/04/15 fui no PS, pois ela fez febre três dias antes, a pediatra examinou e constatou que estava c/ a garganta inflamada, foi prescrito Clavulin por 10 dias, e no dia 13/05/15 novamente eu levo minha filha no PS, também fez febre três dias antes, a pediatra pediu exames e raio x, onde ela encontrou um pouco de catarro no pulmão, prescreveu Trifamox por 10 dias e Predisin 5 dias, o antibiótico acabou no sabado dia 23/05/15, e no domingo p/ meu espanto ela começou uma tossinha que foi se prolongando durante o dia e a noite fez febre. É normal aparecer essa tosse e febre, após ter tomado 10 dias de Trifamox? Neste caso eu espero ou já vou logo no PS, pois ela teve febre na segunda (25/05/15) também.
    Obrigada!

    • Prezada Elizane,
      O Conselho Federal de Medicina proíbe, com razão, que médicos deem consultas pela internet. Por esse motivo, o blog não substitui uma consulta médica. Opinar sobre sua filha, sem conhecê-la ou tê-la examinado, seria uma irresponsabilidade minha. Espero que compreenda esta limitação da internet. Minha sugestão é que evite atendimentos repetidos no PS porque, a cada ida, um novo médico verá sua filha. Em algumas situações, como parece ser a que descreve, é importante que o mesmo médico possa avaliar a evolução e resposta (ou não) aos medicamentos. Quando o médico está vendo a criança pela primeira vez, a tendência é pedir mais exames e/ou medicar de forma mais agressiva. Escolha um pediatra de confiança para acompanhar a sua filha e só use o PS nas emergências reais. É o que posso lhe recomendar, aqui pelo blog.

  4. Boa tarde Dr. Roberto,
    Minha filha tem 2 anos e 7 meses e tem bronquite e uma outra serie de problemas respiratórios, praticamente mês sim mês não ela tem infecção na vias respiratórias tendo que fazer uso de Sinot clav ou azitromicina. A pergunta é: o uso quase que constante de antibióticos pode ser prejudicial a saúde a longo prazo?

    • Prezado Marco Aurélio,
      Quando o antibiótico está corretamente indicado, seus benefícios superam os possíveis efeitos colaterais. O uso indevido de antibióticos tem como principal consequência, de longo prazo, o desenvolvimento de resistência das bactérias. Isso é um problema global que preocupa políticos e pesquisadores. Abusamos de antibióticos, não só na forma de medicamentos, mas, nos alimentos.

  5. Boa noite de, meu filho tem 2 anos e está medicado com senotclav e allegra …acontece q ele já toma a medicação a 4 dias e ele está com muita tosse e estou achando a barriga dele inchada..isso ocorre devido ao antibiótico ? Após o único do tratamento em média quantos dias para ter início a uma melhora?

    • Prezada Roberta,
      O Conselho Federal de Medicina proíbe consultas pela internet. Opinar sobre o seu seria irresponsabilidade minha. Sugiro que retorne ao pediatra que prescreveu a medicação para que seu filho seja reavaliado.

    • Prezada Diana,
      O Conselho Federal de Medicina proíbe consultas pela internet. Opinar sobre q prescrição do seu filho, sem te-lo examinado seria irresponsabilidade minha.Sugiro que esclareça com o médico que fez a prescrição ou ouça uma segunda opinião (consulta).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s