Arquivo de Tag | saúde mental

A SAÚDE MENTAL DE ADOLESCENTES

Quando suspeitamos de febre, colocamos um termômetro e confirmamos a temperatura. Como seria bom termos um termômetro que nos permitisse medir o humor ou saúde mental de nossos filhos, principalmente os adolescentes. 

A adolescência é um período de múltiplas transições: mudanças hormonais, corporais, sociais, sexuais, emocionais e intelectuais. Não é um momento fácil nem para os adolescentes, nem para os pais.  Neste cenário, onde tudo é muito intenso, como perceber que o adolescente precisa de cuidados profissionais?  Abaixo, algumas sugestões ou dicas:

 

Comunicação– manter uma comunicação constante, aberta e honesta é o primeiro passo para se poder perceber que algo além do “normal” está acontencendo. Fale da sua adolescência, seus receios e inseguranças. Mostre ao seu filho que ele não está só, nem que suas ansiedades são únicas ou exclusivas. Não as desvalorize, mas mostre que é algo pelo qual todos passam, inclusive você passou.

Informação– antes de mais nada, saiba que, muitas situações exigem tratamento e são tratáveis. Em geral temos um preconceito com os aspectos emocionais, julgando que tudo é apenas uma questão de força de vontade. Nem tudo é falta de força de vontade e precisa ser tratado. Se informe com seu pediatra ou busque informação em fontes confiáveis. A desinformação contribui para nosso preconceito.

Sinais de alerta– Fique atento a um dos sinais abaixo:

  • sonolência excessiva. Em geral, adolescentes são sonolentos e adoram dormir. No entanto, uma sonolência exagerada, maior do que o cansaço físico, que seja constante, merce  ser investigada.
  • insônia ou dificuldades para dormir
  • perda da auto estima. Não ter nenhuma preocupação com a aparência, com o cuidado com o corpo, higiene, são sinais importantes que podem estar relacionados a alguma forma de depressão.
  • perda de interesse em coisas que gostava. Um adolescente que perde interesse em atividades que gostava, passando a se mostrar apático ou indiferente, está dando sinais de que algo não vai bem. Nessa situação, apenas perguntar se está tudo bem pode não ser  o melhor a ser feito. Quase sempre a resposta será de que tudo está bem. Somente um profissional qualificado e com experiência com adolescentes poderá fazer um diagnóstico mais preciso.
  • alterações bruscas e dramáticas no aproveitamento escolar
  • alterações de apetite. Anorexia, bulimia ou voracidade insaciável são sintomas importantes e não devem ser mensoprezados.
  • alterações de peso, sem motivo. Perder ou amentar de peso, sem que esteja em dieta ou fazendo musculação, devem chamar a atenção dos pais.
  • Auto mutilação. Alguns adolescentes podem aparecer com “machucados” frequentes. Os pais devem ficar atentos, caso se repitam ou o padrão possa sugerir auto mutilação. Por exemplo, toda vez que o menino se barbeia ou a menina se depila, aparece com pequenos cortes. 
  • Agressividade desmedida e pouco usual
  • Obessões. Podem ser com relação ao corpo, como em relação ao ambiente, arrumação das coisas, alimentação.

O mais importante é que os pais estejam atentos aos seus filhos, abertos para uma conversa franca e que saibam que adolescentes podem sofrer muito com doenças tratáveis, como a depressão. Tristeza é parte da vida e é normal. Depressão é uma doença que precisa de tratamento e não depende da força de vontade para ser superada.

Se você tem comentários ou perguntas a fazer, por favor faça. Tentarei responder, o melhor possível.

 

 

IOGA PARA ADOLESCENTES

Uma das caracterísitcas da adolescência é a flutuação de humores. Um dia ótimos, no dia seguinte, um horror! Tudo é muito intenso nessa fase da vida.

Alguns pesquisadores americanos resolveram avaliar o efeito da ioga no bem estar de adolescentes do segundo grau. Acompanharam 51 jovens, por dez semanas. Um grupo passou a fazer aulas de ioga, enquanto outro grupo continuou fazendo aulas regulares de educação física.

No início do estudo, todos foram avaliados com questionários e testes onde o humor, ansiedade, raiva e outras emoções foram classificadas. Ao final do estudo, repetiram os testes e constataram que o grupo que fez ioga apresentou resultados melhores do que o grupo que não fez. Além disso, 75% dos adolescentes que fizeram ioga gostaram da atividade e manifestaram o desejo de continuar.

Este estudo foi publicado no Journal of Developmental and Behavioral Pediatrics e uma das autoras declarou: ” Ioga pode ter um efeito preventivo na saúde mental de adolescentes”.

Pessoalmente, acho que o estudo acompanhou poucos jovens, por pouco tempo. Também não estou convencido do valor dos testes a que os adolescentes foram submetidos. No entanto, independentemente destas restrições pessoais, achei interessante divulgar o estudo, mais para lembrar aos pais que, para alguns adolescentes, a ioga pode ser uma prática muito benéfica.

Se você tem alguma experiência com ioga para adolescentes, seja como mãe ou pai ou ainda como alguém que dá aulas para adolescentes, gostaria de receber seus comentários.