PEQUENOS MACHUCADOS

machucados2Crianças, ao explorarem o mundo, em algum momento acabam se machucando. Caem, puxam coisas que estão em cima de mesas, colocam a mão onde não devem, como bem descreveu o poeta Vinícius de Moraes, no Poema Enjoadinho, ao falar de filhos:

“…Chupam gilete
Bebem xampu
Ateiam fogo
No quarteirão…”

Portanto, por mais que tentemos prevenir, e todo esforço de prevenção é válido, alguns machucados vão acontecer, ao longo da vida dos filhos. No post de hoje, pretendo abordar três situações bastante comuns: arranhões e pequenos cortes, queimaduras simples e batidas ou pancadas. Antes, algumas sugestões “gerais” para qualquer uma das situações:

  • Mantenha a calma. Não só você vai precisar estar calmo para melhor avaliar a situação, como transmitir essa calma para seu filho. Quando o adulto se mostra calmo, a criança se sente mais segura e tende a enfrentar a situação de forma melhor.  Nem sempre é fácil manter a calma, mas é bom pensar nisso, antes de precisar, para tentar exercer um controle sobre as emoções, quando for necessário.
  • Avalie a situação. Rapidamente você será capaz de avaliar a gravidade da situação. Pelo menos avaliar se é algo pequeno, cujo controle e manejo pode ser feito por você ou em casa ou se é uma situação mais grave ou extensa que vai exigir cuidados médicos. Se ficar em dúvida, seja conservador e busque cuidados médicos em um serviço de emergência.
  • Não tente fazer tudo sozinho. Dê prioridade ao seu filho e peça a alguém que esteja próximo para providenciar o que for necessário , como, por exemplo: buscar uma gaze ou gelo, ligar para um familiar, providenciar uma sombra etc. Se você ficou calmo, organizar o “cenário” vai ser mais fácil. Se mais de uma ação for necessária, permaneça ao lado do seu filho enquanto outras pessoas providenciam outras coisas.
  • Mantenha as vacinas do seu filho em dia, principalmente a antitetânica. Em crianças até 6 anos, a antitetânica é dada junto com a difteria e coqueluche ou é dada com o nome de penta ou hexa. Se o seu filho está com as vacinas em dia, não vai precisar tomar reforço e está protegido contra o tétano, em caso de machucados. Aproveito para lembrar aos pais e adultos que todos devem tomar um refôrço de antitetânica a  cada dez anos.

ARRANHÕES E PEQUENOS CORTES

  • Faça uma avaliação da extensão (tamanho) e profundidade do corte. Se for extenso e/ou profundo, faça uma compressão usando uma gaze ou pano (compressão= apertar com força). Não fique removendo a compressão para ver se parou de sangrar. Se você decidiu que é um corte grande ou profundo, leve seu filho ao serviço de emergência mais próximo para que um médico avalie se precisará levar pontos ou não.
  • Sendo um corte pequeno ou superficial, lave com água corrente e sabonete. Qualquer sabonete serve. As crianças costumam reclamar muito nesse momento. Não perca a ternura, mas lave com firmeza. Pense que, lavando corretamente, vai estar prevenindo infecções que podem gerar mais problema e sofrimento para o seu fillho. Ser “bonzinho” ou ter medo de lavar corretamente um machucado, pode ser pior para seu filho.
  • Se o corte continuar sangrando após a lavagem, faça uma compressão por 10 minutos contínuos. Não fique interrompendo a compressão para olhar se parou de sangrar ou não. Dez minutos é uma eternidade, recomendo que marque no relógio!
  • Nunca coloque pó de café, borra de café, açucar ou qualquer produto domiciliar nos machucados e feridas. Evite talcos ou produtos em pó, mesmo que sejam vendidos como antissépticos. Essas práticas tradicionais só contribuem para aumentar o risco de infecções.
  • Cubra o machucado apenas se for extenso ou se a criança for para áreas onde possa sujar o ferimento. Em casa, pode deixar aberto.
  • Limpe, diariamente, com água e sabão. Não use algodão porque pode soltar fiapos que vão colar no machucado. Se a gaze que colocou ficar grudada no machucado, jogue água oxigenada 10 volumes por cima da gaze até que ela se solte do machucado.
  • Não há necessidade de utilizar antissépticos. No entanto, estes podem ser usados, após a limpeza com água e sabão que é o mais importante. Antissépticos não substituem a limpeza. Existem produtos à base de iodo e outros com clorexidina, em solução aquosa (sem álcool).  Ambos são eficazes.

PEQUENAS QUEIMADURAS

  • Uma pequena queimadura é aquela onde a pele ficou vermelha e inchada ou, se houver formação de bolha, esta é menor do que  7 cm de diâmetro. Se a bolha for maior do que 7 cm de diâmetro ou ainda, se a sua localização for em mãos, pés e face, procure um médico. Se você tiver dúvida quanto ao tamanho ou gravidade da queimadura, procure um médico.
  • Resfrie a queimadura. Coloque a área queimada embaixo de água corrente fria (na torneira) por 10 a 15 minutos. Se não for possível colocar debaixo da torneira, mergulhe a área em um balde ou recipiente ou ainda coloque compressas encharcadas com água fria. Resfriar a área queimada é a ação imediata mais importante que se deve fazer.
  • Não coloque gelo ou água gelada sobre a queimadura
  • Não coloque manteiga, óleo, gordura de galinha, clara de ovo, cremes ou pomadas, sobre a queimadura.
  • Não rompa eventuais bolhas que se formem. Deixe as bolhas intactas porque rompê-las aumenta o risco de infecção.
  • Cubra a área queimada com uma gaze e faça um curativo frouxo (sem apertar).
  • Em caso de dor, dê um analgésico, por via oral.
  • Mantenha a área limpa, lavando diariamente com água e sabão.
  • Se suspeitar de infecção pelo aspecto da queimadura, com sercreção ou pus, procure um médico.

BATIDAS E PANCADAS

  • Coloque gelo, o quanto antes, sobre a região que levou uma pancada ou batida. Evite colocar o gelo diretamente sobre a pele porque pode produzir uma queimadura por frio. Use um paninho para proteger a pele.
  • Deixe o gelo por 20 minutos. Se puder comprimir o gelo sobre a região afetada, melhor. Repita a colocação de gelo a cada hora, se possível, no dia da batida ou pancada.
  • Não há necessidade de usar pomadas, gel, emplastros e tantas outras coisas divulgadas na televisão como sendo ótimos para pancadas e batidas. Nada é melhor do que gelo!
  • Em caso de dor, dê um analgésico, por via oral.

Estas são apenas algumas orientações. Se eu pudesse resumir o post, diria duas coisas:

  1. Mantenha a calma
  2. Na dúvida, procure um serviço de emergência ou médico.

Para encerrar, deixo o final do Poema Enjoadinho, do Vinicius de Moraes, que fala do terror que é ter filhos, mas conclui com um toque carinhoso:

…”Porém, que coisa
Que coisa louca
Que coisa linda
Que os filhos são!”

Como sempre, seus comentários serão bem-vindos. Se tiverem dúvidas, enviem que responderei. Lembro apenas que o blog é um meio de divulgar informações e não substitui uma consulta. Portanto,  não posso responder a perguntas sobre casos específicos.

8 pensamentos sobre “PEQUENOS MACHUCADOS

  1. Eu estava com unha encravada e tive que retirar a unha no hospital quanto eu tirei uma enfermeira veio fazer o curativo e colocou iodo, gase e enfaixou com esparadrapo agora depois de 3 dias eu tou tentando tirar o curativo e o iodo grudou com a gase na parte onde tirei a unha ja tirei o esparadrapo e ja deixei o dedo de molho e nada de desgrudar quando eu puxo doi o que faco pra desgrudar eu ja tirei o dedo da agua e vou botar so amanha por favor me ajude estou desesperado

    • Prezado Lael,
      Como o blog não substitui uma consulta, seria irresponsabilidade minha opinar sobre o seu curativo. Sugiro que retorne ao hospital para que esse curativo possa ser refeito e você receba orientação de como proceder nos próximos curativos.

  2. Meu filho de 5 anos e 11 meses se chocou com a bochecha contra a trave durante o futsal e ficou bastante inchado. Levei ao hospital e o médico de plantão receitou ibuprofeno e compressas de gelo várias vezes ao dia. Só que estou achando que está demorando a desinchar. É assim mesmo? O inchaço demora a desaparecer? Obrigada.

    • Prezada Cecilia,
      Você não menciona há quanto tempo seu filho se chocou contra a trave. Mas, se houver a formação de um hematoma, o tempo para reabsorção pode ser de 10 ou mais dias. Em geral, a reabsorção de um edema, sem hematoma, leva um pouco menos. Como o blog não não substitui uma consulta, recomendo que procure o pediatra para lhe tranquilizar.

  3. Boa tarde Dr. Roberto:

    Sempre que meu filho cai ou bate alguma parte do corpo, sem corte, coloco óleo (Dersani Baby) para não formar hematomas, porém a utilização de qualquer óleo dá o mesmo resultado. Já questionei outros médicos pediatras e nenhum soube me responder como que o óleo evita o hematoma. Sabes como isso ocorre?

    Atenciosamente,

    • Prezada Alessandra,
      Infelizmente vou fazer coro com os demais pediatras a quem já fez a pergunta. Desconheço o mecanismo pelo qual o óleo evitaria um hematoma. Sequer estou seguro que evite, de fato ou se, nas vezes em que foi aplicado, não haveria hematoma mesmo sem o seu uso. Mas, se na sua prática ele funciona, continue usando!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s