QUANDO DEVO COMPRAR UM ANDADOR PARA MEU FILHO?

andador1Poderia fazer o post mais curto da história, respondendo apenas: NUNCA! No entanto, tenho a certeza de que todos gostariam de um pouco mais de informações, para uma posição tão categórica quanta esta que assumi. Principalmente, se considerarmos, que me alinho com os pediatras “soft”. Isto é, pertenço ao grupo de pediatras que estimula os pais a ousarem e costumo ser um crítico de regras pré-estabelecidas para ajudar os pais na saúde e educação dos filhos. Então, de onde vem essa negativa tão enfática, para o uso de andadores?

Como informação, desde 2007 que a venda, importação ou propaganda de andadores está proibida no Canadá. Um país de economia liberal que proíbe a comercialização de um produto, não o faria se não tivesse evidências que suportassem tal medida.

Um dos motivos pelos quais os pais acham interessante o uso do andador é porque ele (o andador) daria maior segurança para as crianças, evitando tombos ou quedas. Um estudo sueco mostrou exatamente o contrário. A primeira causa de traumatismo craneano em crianças menores de quatro anos de idade foi queda ou tombo de um andador. A grande maioria destas quedas foi em escadas, degraus, ou desníveis. A segunda causa de traumatismo craneano, nesta pesquisa sueca, foi acidentes no play com brinquedos (queda ou trauma direto). Portanto, o argumento de que o andador é seguro não é uma verdade inquestionável.

Outro motivo pelo qual os pais acham o andador interessante é porque aumenta a mobilidade da criança. É verdade que aumenta, e muito, a mobilidade. No entanto, ao aumentar a mobilidade de uma criança que ainda não tem noção do que é perigoso ou não, aumentamos a exposição desta a perigos. O andador é um veículo que pode atingir a velocidade de 1m/s. Nesta velocidade, além de colisões em móveis, quinas de mesa etc. a criança pode alcançar, muito rapidamente e sem que os pais percebam lugares da casa onde peguem objetos cortantes, perfurantes, vasos, porta-retratos ou consigam puxar fios, telefones, lâmpadas, com potencial de produzir acidentes muito maior do que se a criança estivesse se deslocando pelos seus próprios meios.

Um argumento muito comum para a utilização do andador é que este facilitaria o desenvolvimento da criança. É justo o oposto. Ainda que a diferença seja pequena, crianças que utilizam o andador apresentam um discreto atraso no seu desenvolvimento motor, quando comparadas com as que não usaram andador.

Muitos pais acreditam que o andador é uma ótima forma da criança se exercitar. De fato, ela ganha mobilidade, como vimos acima, mas o esforço físico, o trabalho muscular e o consumo de energia é muito menor no andador do que quando a criança se desloca somente usando a sua musculatura. Portanto, a criança no andador faz menos exercício do que uma criança que engatinha e tenta se levantar, por exemplo.

Finalmente, alguns pais dizem que gostam de ver seus filhos no andador porque ficam muito felizes, sorrindo o tempo todo. Ora, uma criança pequena, sorri para quase qualquer coisa que se faça com ela. Basta ficar na frente dela e fazer duas ou três caretas, emitindo alguns sons, ou mostrar coisas coloridas, ou fazer qualquer coisa que chame a atenção da criança que esta irá sorrir. Se ela só sorrisse no andador, poderíamos fazer essa associação, mas como ela sorri para quase tudo…

Espero ter mostrado com algumas evidências que não há lugar para o andador, na vida dos bebês. Espero também que não me classifiquem como um pediatra “linha dura”. Deixem-me  no grupo dos “pediatras soft”, apenas um pouco mais enfático quando existem argumentos sólidos, com relação a algo, como, neste caso, o andador.

Divirtam-se com seus filhotes engatinhando pela casa, tentando ficar de pé na beira dos sofás e cadeiras e, finalmente, cambaleando, caindo no bumbum, levantando e andando!

baby boy walking

Este post foi publicado, originalmente no blog  http://4insiders.com.br/. É um blog de variedades, muito interessante, para o qual eu colaboro.

 

 

8 pensamentos sobre “QUANDO DEVO COMPRAR UM ANDADOR PARA MEU FILHO?

  1. Confesso que dessa vez achei que iria dizer que pode também rsrsrs. Concordo com todos os argumentos Doutor e o senhor pode até me dar uma bronca porque comprei um para o meu pequeno Inácio…. Massss depois que minha mãe viu uma matéria no jornal local que apresentou todos os mesmos argumentos o pobrezinho do andador está num cantinho só pegando poeira…. foi proibido lá em casa…. No entanto queria fazer uma observação, antes de ser proibido lá em casa, achei que, em relação às quedas, talvez os fabricantes hoje estão mais atentos e produzindo os andadores com um design mais seguro que não vira, será???? Muito obrigada por mais essa informação e continuado sucesso nesse blog sensacional!!!!

    • Prezada Karla,
      Acredito que o estudo sueco que demonstrou um maior numero de traumatismo craneano em crianças usando andadores se deva ao fato de que moram mais em casas, com escadas, do que ao desenho mais estável dos andadores. De qualquer forma, a segurança não é só por tombos, mas pelo fato da criança alcançar lugares distantes, rapidamente. E, os motivos para não usar o andador são outros também, como coloquei no post. Obrigado pelas palavras gentis e achei divertido seu comentário sobre pediatra que diz que tudo pode! Sucesso com o Inácio andando por conta própria!

  2. Olha Dr. Roberto, apesar de o Victor já estar com 14 anos, o que estou tentando fazer é dividir minha experiência, pois sei que toda a mãe sofre com as incertezas sobre o que é certo ou errado.
    Eu não comprei andador, achei que ele deveria experimentar quando se sentisse seguro, e foi exatamente o que aconteceu.
    Ele engatinhou com os 2 joelhinhos no chão, corria igual a um desesperado. Daí começou a andar de lado, só com um do joelhos. Depois começou a se segurar nas cadeiras e no sofá, andava de um lado para o outro, sempre agarrado.
    Um belo dia, de tanto treinar ele soltou ambas as mãos e ensaiou uns 3 passos, caiu sentado e foi por aí. Se agarrava de novo, soltava as mãos, dava mais alguns passos, caía sentado e ria de se acabar. Com o passar dos dias, a auto-confiança aumentou, as quedas diminuíram, os passos aumentaram em número e ele começou a andar sem dificuldades.
    Eu procurava, nessas épocas, forrar o chão com um edredom. O quarto dele era inteiro forrado com aquele tapete de borracha macia, daí não tinha muito perigo de machucar com gravidade.

  3. Acho q andador, além de tudo, dá uma falsa segurança para a criança, dá a sensação de q o apoio estará ali na hora de andar. Segurança q, só depois de muita tentativa e erro e tombos, ela terá. Só uma curiosidade: meu filho mais novo começou a andar com 1 ano recém-completo, e depois de 2h dando seus passinhos, ele andou sozinho o corredor inteiro da minha casa. Foi tão surreal q chamei vô, vó, tio para verem. Antes do feito, a gente dizia: “esse aí já sabe andar, só não sabe disso ainda”. Pois precisou da tal segurança pra se aventurar por conta própria.

    • Marina,
      Gostei muito da frase “esse aí já sabe andar, só não sabe disso ainda”. Acredito que sirva para outros verbos (falar por exemplo). É uma frase que contém uma sabedoria, muitas vezes difícil de ser praticada- paciência. Esperar o tempo certo de cada um. Obrigado!

  4. Bom dia Dr. Roberto.
    Não sei se é o lugar certo de comentar( perguntar )
    Meu pequeno está com 1 ano e 2 meses, desde cedo ele ja ficava em pe no berço andando de uma lado para o outro, achei que ele ia começar a andar cedo, me falaram pra comprar andador, porem sempre fui contra.
    Não sei se é ansiedade, mas to achando que ele está demorando muito pra andar sozinho, quando anda fica mito desiquilibrado, da uns 3 passos e cai
    ele só que engatinha e so anda apaoado nas coisas,( sofa, cadeira, paredes e moveis), tento estimula-lo a anadar com a mão dada a ele e mesmo assim desequilibra muito e tbem insiste em dobrar os joelhospra ficar no chão será q estou precipitando? pode ser anciedade minha.
    Na ultima consulta a pediatra perguntou se ele já andava, falei que não, mas ela perguntou se ele andava se apoiando ou com mão dadas, disse que sim e ela disse q td certo
    na verdade queria saber se é realmente normal ou se ele está preguiçoso ou se pode ser algum outro problema? abraços

    • Prezada Martha,
      Como o blog não substitui uma consulta, não posso responder sobre o seu filho.Espero que compreenda esta limitação da internet. De um modo geral, algumas crianças são mais lentas do que outras, para começar a andar. O importante é que você continue seu acompanhamento com a pediatra e lhe relate os progressos do seu filho. Ela saberá lhe orientar e tranquilizar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s