CHUPETAS- SIM OU NÃO?

Algumas crianças sugam para se sentir bem. Isto é, sugam sem ser com a finalidade de se alimentar. Para estas crianças, a chupeta pode ser uma boa alternativa.  Digo alternativa, porque nem todas as crianças gostam ou aceitam uma chupeta. Se o seu bebê não aceita uma chupeta, não forçe o seu uso. Algumas crianças descobrem a mão e os dedos e passam a usá-los como para sugar e se sentir mais calmos. Portanto, a resposta à pergunta – chupetas, sim ou não, é: depende! Depende da criança e das suas necessidades. A única situação onde parece haver uma indicação clara para o uso da chupeta é na hora de dormir. A Academia Americana de Pediatria recomenda, em função de estudos sobre a segurança no sono, que os bebês adormeçam com uma chupeta na boca. Se esta cai durante o sono e o bebê não reclama, não há necessidade de se recolocá-la.

Qual modelo escolher? O único cuidado é com os aspectos de segurança. Assim, escolham uma chupeta que não tem peças que se separam e que permita uma lavagem com água quente. Com relação aos diversos modelos existentes no mercado, só tem um jeito que é testando a aceitação. Uma vez que o seu bebê defina o modelo que gosta, tenha sempre uma ou duas chupetas de reserva. Chupetas tem uma capacidade formidável de sumirem, caírem por entre bancos do carro, atrás de almofadas e outros lugares inusistados. Mantenha a chupeta limpa, lavando-a com água morna e detergente. Troque a chupeta quando ficar velha, ou apresentar rachaduras. Tudo que não queremos é que uma criança aspire pedacinhos da chupeta!

Quais os problemas decorrentes do uso da chupeta? Em primeiro lugar, vimos um aspecto positivo que o uso da chupeta, para dormir, produz: a redução de episódios de síndrome de morte súbita do recém nascido. Estudos demonstram esse benefício do uso de chupeta para dormir, sem, no entanto, explicar os motivos pelos quais isso ocorre. Mas, as evidências são suficientemente fortes que, como dito acima, seu uso para dormir é uma recomendação da Academia Americana de Pediatria. Quanto aos aspectos negativos que potencialmente podem ocorrer, destaco:

  • interferir no aleitamento ao seio. Para os bebês que mamam no seio de suas mães, o uso da chupeta deveria ser postergado até em torno de um mês de idade, quando a amamentação já está bem estabelecida. Alguns recém nascidos podem ficar “confusos” com tipos diferentes de bico e acabar por apresentarem alguma dificuldade de sugar o seio materno.
  • otites – aparentemente há uma correlação entre uso de chupetas e um maior número de casos de otite.
  • sapinho- crianças que usam chupetas tendem a ter mais candidíase oral (sapinho) do que os bebês que não usam.

O uso de chupeta pode atrapalhar a dentição ou a fala? Somente o uso prolongado pode atrapalhar a dentição, produzindo problemas de oclusão ou alinhamento dos dentes. Se a criança usa chupeta aos dois anos, deve-se iniciar um processo de retirada, sem muita pressão. No entanto, uma criança não deveria mais estar usando chupeta a partir do seu terceiro aniversário. Quanto à fala, o único problema que a chupeta acarreta é que fica muito difícil entender o que uma criança diz, com a chupeta na boca. Fora isso, só terá problemas na fala, se tiver problemas com a oclusão ou dentição.

O importante a ser lembrado é que chupetas não devem ser usadas para “enganar” a fome da criança. Se ela está com fome, precisa de comida! Chupetas servem para tranquilizar crianças que se sentem melhor quando sugam algo, sem fins de se alimentar.

Como interromper o uso da chupeta, sem traumatizar a criança? Se eu soubesse a resposta desta pergunta, publicaria um livro que venderia muito. Felizmente, a maioria das crianças perde o interesse (ou necessidade) pela chupeta e a abandona espontaneamente. Outras, conseguem largar a chupeta com algum estímulo como por exemplo dizer que a criança já está grande e que pode dar para um outro bebê, ou dar para coelho da páscoa ou Papai Noel! No entanto, algumas crianças se mantém agarradas às suas chupetas, de tal forma que os pais ficam sem saber o que fazer. Não há receita única, muito menos certa. Desde a tentativa de convencimento através da conversa, passando por estímulos positivos com calendários onde estrelinhas são colocadas para cada dia sem chupeta, até medidas menos simpáticas como o uso de sabor desagradável porém atóxico na chupeta (vinagre é um exemplo), até a retirada total e absoluta da chupeta, aguentando a reação por um ou dois dias. Os pais devem decidir como proceder e o que eu posso dizer é que, se a opção for pela retirada total e completa da chupeta, devem estar preparados para suportar a reação natural que virá, sem ceder e voltar atrás, devolvendo a chupeta. Isso seria um exemplo negativo porque a criança iria aprender que pirraça funciona. Sucesso!

Se você tem alguma dúvida ou gostaria de compartilhar alguma experiência, escreva. Seu comentário será sempre benvindo.

33 pensamentos sobre “CHUPETAS- SIM OU NÃO?

  1. Sei bem o que é ter um filho chupeteiro e outro que não liga a menor pra chupetas.. A diferença é que o chupeteiro é o mais velho, de dois anos, que estou preparando para entregar TODAS as chupetas para o Papai Noel, no próximo Natal. Já o mais novo, de um ano, nunca ligou muito. Difícil administrar essas duas vontades concomitantemente 😉

  2. Ola Dr. Cooper,

    Pergunta: porque a chupeta pode causar otite, assim como a mamadeira ? Ainda nao tivemos nenhum caso, foi simplesmente sorte ?
    Acredito que minha filha é do time das sugadoras porque AMA uma chupeta, sem falar na mamadeira. Na verdade ela associa a chupeta ao sono e a insegurança ( timidez ).
    Minha “preocupação” e daí minha pergunta foi em relação a fala pois ela fala com a lingua pra frente, como se ela fosse presa. Achei que podia ser “culpa” da chupeta !!!
    Teremos um Natal divertido em 2013 🙂

    Bjs

    Bia

    • Bia,
      O aumento da incidência de otite em crianças que usam chupetas ou mamam deitadas no berço é uma constatação de estudos clínicos realizados. Quanto às causas, duas são consideradas como possíveis: refluxo de material do nasofaringe para dentro do ouvido médio, provocado pela pressão de sugar (o nariz e o ouvido se comunicam, tanto que quando uma pessoa fica com o ouvido “entupido” em um avião, ela boceja ou faz pressão com o nariz tampado!). A segunda possibilidade seria uma disfunção da trompa de Eustáquio (que é o “canal” que comunica o ouvido médio com o nariz), seja pela posição que, em crianças é mais horizontal do que no adulto, seja por alguma outra alteração. O fato é que que não sabemos direito porque acontece. Só sabemos que acontece otite com mais frequência nessas crianças. Isso não significa que todas as crianças que usam chupetas ou mamadeiras, terão otite. Trabalhos científicos exigem algum conhecimento para serem lidos. Por exemplo: o jornal pode dar a seguinte manchete- Crianças que usam chupeta têm o dobro de chance de ter otite. Pronto, alarme geral. O que o jornal não publicou porque o jornalista não é um pesquisador que lê o artigo todo é que a incidência de otite em crianças que não usam chupeta é de 1 em 100 mil e nas que usam, 2 em 100 mil. Portanto é o dobro, mas continua sendo muito pouco! Espero que esta longa resposta não a tenha confundido mais.

  3. Foi ótimo Dr. Cooper !
    Se nós formos colocar tudo a ferro e fogo a vida vira uma loucura…
    Acho importante saber mas, mais do que isso, importante dosar a informação, como sempre comentamos aqui.
    SE pode fazer mal e SE podemos evitar, porque não tentar ? Acho que vale no mínimo uma tentativa de trocar a mamadeira por um copo com tampa, canudo…sei la, vale a criatividade de encontrar uma princesa ou um bichinho ou um personagem que ela goste ! Afinal de contas estamos falando de uma “menina”de 28 meses que já tem MUITO gosto e MUITAS vontades 🙂
    A água, no caso, da piscina também causa problemas no ouvido, não ? Esse problema também é otite ?

    • Bia,
      Quando a água da piscina causa algum problema, é uma otite externa. Isto é, o conduto auditivo externo (o que enxergamos), fica inflamado. A otite produzida por chupeta ou mamadeira é uma otite média (infecção atrás da membrana do tímpano que só pode ser vista com o otoscópio). Apesar do nome, otite, são duas coisas diferentes. Não é para deixar de ir à piscina! Lembre-se de passar filtro solar!

  4. Dr. Cooper,

    Não é para deixar de pir a piscina. Minha pergunta foi feita porque agora “estamos” mergulhando que nem um peixe
    MUITO filtro, pode deixar 🙂

    Bjs

  5. Dr. Cooper, meu filho faz 2 anos esse mês e tinha certo apego pela chupeta principalmente para dormir e para andar no carro. Essa semana a chupeta teve um rasgadinho porque ele mordeu, Em outras ocasiões eu já trocava de imediato, no entanto, decidi junto com o pai, deixar a chupeta incomodar nosso filho para que ele mesmo a dispensasse. Mas tudo foi muito rápido. No mesmo dia que combinamos isso, meu filho sozinho tirou a chupeta da boca a noite e disse que ia jogar no lixo. Antes, nós brincávamos com ele dizendo que já tava na hora de jogá-la fora, no entanto, não esperavamos que mais tarde ele mesmo o faria. Ele foi até a lixeira e o pai o acompanhou, Nesse dia, acordou a noite chorando e pedindo a chupeta. Conversamos com ele e deixamos ele dormir em nossa cama. Nessa segunda noite (que foi nessa madrugada) ele deu febre. Dei medicação e a febre passou. Ele ainda pede a chupeta, mas entende quando falamos que ele jogou fora e não chora. Se perguntar a ele, ele mesmo diz que jogou fora. Será que essa febre foi emocional. Ele acordou super bem. Tive vontade de devolver a chupeta para ele, mas sei que mesmo se for emocional, vai ser melhor para ele. Ou ele está muito novo?
    Obrigada,

    • Janaína,
      Há relatos de febre de origem emocional. No entanto, esse diagnóstico é difícil de ser feito. O importante é que a febre do seu filho foi embora. Valorize o gesto do seu filho de jogar fora, espontâneamente, a chupeta. Talvez ele precise de vocês para reafirmar esse gesto, elogiando-o pela atitude e distraindo-o quando pedir a chupeta. Agora, se ficar “desesperado” ou inconsolável, é outra história. Pelo visto não é o caso. Sucesso!

  6. Ola Dr. Cooper,

    Manuela eh dessas crianças ditas “chupeteiras”, adora uma e é ela o seu amuleto. Sempre quando se sente insegura em ambientes novos e com pessoas novas ela utiliza a sua chupeta. Além disso a “pacifier” , alias melhor nome impossível, é a sua companhia para dormir.
    Nos mudamos recentemente e notamos esta semana que uma das chupetas estavam furadas em um dos cantos. Depois aparecem outras duas.
    Podemos dizer que ela esta ansiosa por causa da novidade da vida nova ( realmente nova: pais novo, língua nova, casa nova, temperatura nova…) ?
    E eu posso ajuda-la de alguma forma ?
    Devo me preocupar com alguma reação dela ?

    Bia

    • Bia,
      País novo, língua nova, casa nova e temperatura nova, é muita novidade até para adultos. A diferença está na possibilidade de racionalizar dos adultos. Entendem os motivos pelos quais há uma novidade e conseguem pensar estratégias de adaptação. Mesmo assim, não raro, sofrem de saudades da rotina conhecida. Portanto, Manuela tem todo direito de estranhar essas novidades todas. O que ela precisa é de um pouco mais de carinho e atenção. Devem conversar com ela, tranquilizando-a quanto à presença de vocês e tentar transformar esse período de adaptação em algo divertido, engraçado. Não vejo motivos para você se preocupar com alguma reação dela. Acredito que, passado um tempo, a adaptação dela a essas novidades todas será tão boa ou melhor do que a dos adultos! Sucesso!

  7. Olá Dr. Cooper,

    Carinho e atenção ela tem de sobra e ainda usufrui da mamãe que agora se dedica em tempo integral e exclusivo a ela ! Diversão nem sempre pois a mudança de clima ainda não foi muito bem aceita 🙂
    Acho que as mudanças geraram uma certa insegurança a ela quem demonstra não só com a chupeta. Hoje em dia, na hora de dormir, ela me pede para deitar com ela e procura a minha mão para que eu possa abraça-la enquanto estamos deitadas. Fato INÉDITO porque ela gosta de dormir sozinha. A chupeta só aguçou minha sensação e cheguei a pensar que poderia ser um dente crescendo ou qualquer coisa parecida, por isso te perguntei ! Sei lá, tem tantos sintomas para tantas coisas que poderia ser mais um…bruxismo ??? enfim…
    Nos sempre nos surpreendemos com as reações dela porque as vezes ela é tão madura e as vezes é tão imatura ( OBVIO, ela só tem 30 meses), que nem sempre sabemos como nos posicionar com ela que não sendo pais amáveis e atenciosos.
    Com certeza a adaptação dela a nova vida será muuuuuuito melhor que a minha que já vive de saudades.

    Bjs

    Bia

    • Bia,
      Acredito que seja apenas uma certa insegurança com tanta novidade. Com o carinho e cuidar de vocês, breve vai estar mais solta e adaptada. Se estiverem no exterior, ainda vai aprender uma nova língua, rapidinho! Aproveitem esse período.

    • Bia,
      Acredito que seja apenas uma certa insegurança com tanta novidade. Com o carinho e cuidar de vocês, breve vai estar mais solta e adaptada. Se estiverem no exterior, ainda vai aprender uma nova língua, rapidinho! Aproveitem esse período.

  8. Boa noite doutor! Tenho uma filha de 3 anos que nunca pegou chupeta só mamadeira porém ao coloca-la na creche a um ano atrás as professoras começaram a dar chupeta pra ela n hora de dormir eu disse pra elas que não era necessário porque eu mesma tentei dar quando ela era bebe mais nunca pegou mais elas disseram que dão pra todas crianças na hora de dormir mesmo as que não chupam dai o tempo passou e a minha filha começou “viciar” na chupeta e em casa ficava com ela direto. Conclusão: tem um ano que ela usa chupeta direto e os dentes superiores da frente estão vindo pra frente! Quero saber se eu tirar a chupeta dela agora q ela tem 3 anos se há chances desses dentes voltarem ao normal?
    Grata!

    • Prezada Edilaine,
      Não sei dizer se os dentes voltariam à posição normal. Um dentista de crianças (odontopediatra) seria a pessoa mais indicada a lhe responder e orientar. Me parece que, a retirada da chupeta agora, impediria que os dentes continuassem a avançar para a frente, o que já seria bom.

    • Edilaine,
      Veja no posto de saúde, clínica da família ou unidade básica de saúde do seu bairro. Se na sua cidade houver um serviço universitário de odontopediatria, também vale a pena ver o que precisaria fazer para ser atendida lá.

  9. Olá,
    Meu filho tem 5 anos e minha filha 4 anos, vou deixar aqui nossa experiência com chupetas e mamadeira. Ofereci aos dois a chupeta logo aos primeiros dias em casa, na hora de dormir. Ofereci meio que por costume, na minha família as crianças sempre chuparam “bico”. Foram crescendo e acostumaram-se a chupar o bico na hora de dormir. Não dava ao longo do dia, porque sempre brincaram muito no lado de fora de casa, assim que começaram a engatinhar, e o bico ficava mais rolando pelo chão que na boca. Quando a menina não mamou mais no peito, eles começaram a tomar uma mamadeira de leite apenas na hora de dormir, e ao longo do dia tomavam no copo. Tomei essas atitudes desde seu nascimento, pensando que seria assim menos traumático na hora de separa-los do bico, e para eles, foi. Quando o menino estava com 2 anos e a menina com 1 ano (nunca forcei a mais nova a adiantar-se no crescimento, mas ela acabou sempre acompanhando o irmão mais velho), fui percebendo que sua dieta estava ficando mais regrada, sem pedir leite sempre. Então comecei a organizar mais os lanches, as refeições. Organizei horários, café da manhã, lanche, almoço, lanche, janta, e um lanchinho leve uma hora antes de dormir. Sempre dormiram super cedo, nossa janta era no máximo as 18:00 da tarde, as 20:00 de noite já estavam dormindo. Como eu estava em casa o dia inteiro e ia a faculdade a noite quando meu marido ficava com eles, foi fácil organizarmos, os lanches intercalavam-se com frutas, vitaminas de frutas, leite, iogurtes, pães e bolachas. Após uns dias, vi que adaptaram-se a isso, e mesmo em sua pouca idade, conversamos sobre como estavam crescendo, deixando de ser bebês e que poderiam jogar a mamadeira e o bico fora. Pela manhã recolhemos o lixo, e sugeri que colocassem os bicos e as mamadeiras no saco para levarmos a lixeira, pois eles não iriam mais precisar já que estavam ficando grandes. O processo foi rápido demais, no fim eu fiquei mais sentida que eles, eu era apegada àquelas mamadeiras e àqueles bicos, deixá-los mostrou-me que meus “bebês” estavam me deixando. Ficamos de olho a espera do caminhão do lixo, quando levaram o saco gritávamos “tchau mamadeira, tchau bico”. Fiz isso pensando que seria mais fácil eles encararem a realidade se soubessem que já não tinham mais isso em casa. Pela noite, ao dormir, nesse primeiro dia demoraram uns 40 minutos para pegar no sono, fizeram uma manha, mas nada muito grande. No segundo dia voltaram ao normal, dormindo alguns minutos após deitarem, sem reclamações. Desde esse dia, não pediram mais. Algumas vezes viam crianças da idade deles chupando bico ou mamadeira, e me perguntavam se eles eram bebês, sempre expliquei que cada um é diferente e que talvez aquelas crianças ainda não conseguiam dormir de noite sem o bico. E digo mais, eu tenho mais saudades que eles dessa época. Abraços a todos!

  10. meu filho tenhe 2 aninho e 9 meses ele chupa chupeta uns dentes deles esta ficado pra fora como eu fasso para tira a chupeta dele…..

    • Prezada Ilana,
      Só tem um jeito que é tirando! Isto é, precisa estar convencida de que ele não deve usar chupeta e não oferecer mais. Ele vai reagir, chorar, reclamar, por uns dias. Mas, se você não acha que ele precisa parar de usar ou não vai conseguir resistir à sua reação, melhor não tentar. Aguarde até se sentir preparada.

  11. ola boa tarde tiramos a chupeta da minha filha de 3 anos no feriado das crianças , fizemos ela trocar por um briquedo , pois no outro dia ela teve febre vomito e diarreia pode ser a falta da chupeta pois no outro dia ela ja estava melhor

    • Prezado Rodrigo,
      O Conselho Federal de Medicina proíbe consultas pela internet. Opinar sobre o seu filho, sem te-lo examinado, seria irresponsabilidade minha.Mesmo que o tivesse examinado, seria uma situação difícil para se afirmar o que quer que fosse.

  12. Boa noite.
    Meu nome é Henrique e sou pai do Pedro de 1 ano e 4 meses. O meu pequeno nunca se interessou por chupeta, mas após os 8 meses ele aceitou o acessório para dormir.
    Ocorre que recentemente ele teve uma série de dentes nascendo ao mesmo tempo e ele (imagino eu) associou a dor da nascença dos dentes a chupeta e simplesmente largou o acessório, tanto que ele olha para ela e faz cara de dor. Infelizmente com isso o sono dele está péssimo e por consequencia o meu também.
    É possível que a falta da chupeta possa atrapalhar o sono?

    • Prezado Henrique,
      É difícil dizer se um único fator poderia estar atrapalhando o sono do seu filho. É possível que sim, mas seria importante conhecer outros aspectos do seu filho e a dinâmica familiar para poder lhe orientar. Como o blog não substitui uma consulta, sugiro que converse com o pediatra para que lhe oriente.

      • Mas há também questões sociais que são afetadas, como por ex., no modo de ele se inserir no mundo. Afinal, entre os amigos, ele deve ser um dos poucos que ainda chupam chupeta. É menino ou bebê? Menino na escola, bebê da mamãe em casa? Hora de conversar com a mãe tb! Boa sorte com a retirada!

      • Marina,
        Obrigado por participar do blog. Sem dúvida, tudo merece ser contextualizado. Você chama a atenção para algo que perdemos com uma crença “cega” em regras ou tecnologias, embrulhadas com jeito de cientificas. Mesmo o conhecimento científico de boa qualidade precisa ser contextualizado para que possa realmente ser útil.

  13. Olá Dr Roberto.
    Primeiramente obrigada pelo post, agora peço sua ajuda , meu filho têm 4 anos (já passou da hora de sair da chupeta), sou pedagoga e conheço o ruim da chupeta nessa idade. Porém venho alguns dias tirando a chupeta . Em casa o Pedro reclamou primiro e segndo dia , já no terceiro dormiu bem, estou utilizando musica que acalma para faze-lo dormir. No entanto , esse final de semana passou três dias na minha mãe . E a vó está muito zangada pois diz , que ele ficará “aguado” o que seria isso ? Como posso intervir? Porque sei tambem que ele conhece o ponto fraco da vó . Mas como mãe de primeira viagem fico muito insegura . Abraço Adriana

    • Prezada Adriana,
      Como o blog não substitui uma consulta, seria irresponsabilidade minha opinar sobre o seu filho. De um modo geral, uma criança de 4 anos não deveria mais usar a chupeta e cabe aos pais colocar esse limite de forma carinhosa, porém firme. Também devem envolver o restante da família para evitar que todo seu esforço seja desfeito por uma avó, tia ou madrinha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s