QUE ESCOLA ESCOLHER? AQUELA QUE ADOTA O MÉTODO CRIANSSORI!

Essa é uma pergunta complexa porque envolve algumas outras perguntas que precisam ser respondidas, pelos pais, antes da decisão de qual escola escolher.

Minha sugestão é que os pais, antes de listar as escolas com seus prós e contras, respondam à perguntas como:

– que valores consideramos importantes e gostaríamos que a escola também os tivesse? Por exemplo, pais com uma visão agnóstica do mundo talvez prefiram que a escola seja laica.

– para quê colocamos nossos filhos na escola? Claro que o óbvio já está respondido- para aprender. Mas a pergunta é se colocam seus filhos na escola para daqui a 15 anos passarem no vestibular ou se gostariam que seus filhos aprendessem a aprender. Não são excludentes, mas também não são a mesma coisa. Em um mundo muito competitivo, passou-se a considerar uma boa escola aquela que aprova o maior percentual de alunos, nas melhores universidades. É um critério, mas não é o único.

– que valor damos à globalização e ao aprendizado de línguas? Se os pais consideram que o mundo será cada vez mais global e que as oportunidades de realização profissional não vão se limitar às fronteiras geográficas, tenderão a avaliar escolas internacionais e bi-lingues. Se, por outro lado, a visão de futuro que os pais têm é de que seu filho terá um futuro excelente, vivendo no Brasil, a questão da diversidade cultural e de línguas perde importância.

Esses são apenas alguns exemplos de conversas que os pais deveriam ter, antes de olharem uma lista de escolas. Com essas e outras perguntas, podem olhar uma lista de escolas e começar a confrontar estas com seus critérios. Se não estabelecerem critérios antes de olhar a lista, poderão ficar tentados a “flexibilizar” em função da estética, simpatia da diretora etc.

Façam uma visita às escolas que passarem por uma primeira triagem. Olhem em volta, observem as crianças, discutam com a representante da escola os seus valores e critérios e avaliem como a escola se enquadra (ou não) no que vocês esperam. Escolas são como vinhos. O melhor vinho é aquele que você gosta, não necessariamente o mais famoso ou mais caro!

Esses comentários são para a escolha de uma escola para crianças maiores. Como escolher uma boa escola para crianças entre 2 e 5 a 6 anos?

Peço licença às pedagogas para uma brincadeira. Escolham uma escola que adote o Método Crianssori. No que consiste esse método? Consiste na implementação da prática dos 3 Cs:

– Carinho

– Cuidados

– Conforto

Carinho- é algo que você observa no trato que as pessoas (todas) da escola têm com as crianças. Se reflete no ar de alegria e satisfação que  as crianças exibem. Também tem relação com o número de crianças e o número de funcionários. Existe uma relação ótima de crianças/funcionários que permite um olhar atento e carinhoso com todas as crianças. Carinho também é respeitar a individualidade da criança pequena, sem definir objetivos pedagógicos rígidos, metas etc. Evidentemente que nenhuma escola poderá dar um tratamento 100% individualizado a seu filho, mas se a cultura for de respeito a essa individualidade, ótimo.

– Cuidados- vai desde a segurança do ambiente, as instalações, a parte objetiva de alimentação, troca de fraldas e higiene, até a forma com que a escola se comunica com os pais.

– Conforto- é a existência de um ambiente com condições adequadas de temperatura, aeração, iluminação e ruído. Também inclui o material disponível para as crianças brincarem, bem como o espaço existente. Para crianças pequenas, o conforto também é a proximidade com a casa, a facilidade de deslocamento e/ou de estacionamento, se for o caso.

Portanto, espero que os pais de crianças pequenas estejam mais atentos às necessidades infantis de seus filhos, deixando a preocupação com o futuro profissional, performance, sucesso e reconhecimento, para outra etapa (aquela em que os valores da família serão fundamentais na escolha da escola). Com seu filho pequeno, o que vocês mais querem é alegria dele brincar e se divertir.

Talvez receba muitas críticas de pedagogas. Serão benvindas. Como serão benvindos os comentários e perguntas dos pais.

PS- Método Crianssori é uma brincadeira com o Método Montessori que, por sinal, é um dos métodos pedagógicos que considero interessante.

9 pensamentos sobre “QUE ESCOLA ESCOLHER? AQUELA QUE ADOTA O MÉTODO CRIANSSORI!

  1. Olá Dr. Cooper,
    Interessante a sua abordagem ! Obrigado pelo post. 🙂
    Realmente a dúvida é grande de qual escola colocar a nossa filha. Não vou negar que olhamos todos os detalhes e para nós eles importam, mas o que podemos relevar ? Essa é a nossa dúvida. Que difícil ( não querendo fazer um bicho de 07 cabeças mas já fazendo) !!!
    Sei lá, a gente não quer errar… Acho que somos pais cuidadosos demais, principalmente com os valores que queremos passar para ela. Pensamos e muito no futuro da nossa filha mas também sabemos que ela ainda é um bebê ( 01 ano e 10 meses) e tem mais é que se divertir, mas, com cuidado e com conforto.
    Obrigado pelo empurrão à diversão. 🙂
    Você comenta sobre uma relação crianças x professores, que realmente existe e cada escola tem uma relação. Afinal, existe uma relação ideal para esta primeira idade ? Ou a ideal é a que os pais se sintam confortáveis ? O tamanho do espaço também não entra nesta relação ?
    Uma outra dúvida, uma outra lingua, quando e como pode ser introduzida ? Minha filha pode sofrer algum tipo de retardo com o domínio ( fala ) da lingua portuguesa ( lingua falada em casa ), digo, se sentir confusa e parar de falar ?
    Mais uma vez obrigado.
    Bia

    • Bia,
      Não se preocupem com errar. Todos nós erramos! É parte do processo de ser pai e mãe. Melhor errar do que não ousar. Melhor errar do que seguir regras sugeridas por terceiros ou livros.
      Quanto ao futuro da filha de vocês, ele será tanto melhor, quanto vocês conseguirem suprir as necessidade do presente. Não adianta antecipar ou precipitar etapas. Por isso, nesta idade, o que é importante é a diversão, o lúdico, criativo, com a possibilidade de se movimentar, correr, rolar etc. A escolha da escola de hoje não é a que vai ensinar a ela coisas. Essa é a escola do futuro que vocês podem ir avaliando, pensando. A escola do presente é essa que fica perto, que é simpática, que vocês percebem o prazer dela em ir para brincar.
      Deve existir algum tipo de relação ideal entre professores x alunos e espaço. Eu não conheço. Mas, acredito na sensibilade dos pais para olhar e perceber se tem pouca professora para cuidar daquelas crianças e se o espaço é apertadinho ou confortável. Sucesso!

      • Ola Dr Cooper,

        Ca estou de volta.
        Esqueci de comentar no post sobre terrorismo que existe mais uma categoria: o terrorismo das festinhas ! Como eu , outras mães tem a mesma duvida entao achei que valeria a pena postar a “nossa” duvida.
        Você teria como “nos ” dar uma ajuda ?
        Nos, mães com filhos que fazem aniversario no meio do ano, estamos com duvidas em qual turma matricular o filho.
        Bem, vamos ao terrorismo e a duvida real: Existe algum tipo de retrocesso caso a crianca estude numa turma mais nova do que ela ?
        Minha filha acabou de fazer 02 anos e esta matriculada para o maternal 1 que eh a primeira turma na escola.
        Me disseram que ela deveria estar matriculada no maternal 2.
        Ai já viu, entram neste tema vários posts … E eu realmente quero que ela se divirta e socialize e seja criança e brinque um monte mas nao gostaria que ela sofresse de um retrocesso.
        Isso existe ? Eh invenção ? Ou procede, isso de fato pode acontecer caso ela entre numa turma que receba estímulos para crianças menores do que ela.
        Faz tanta diferença entre estimulo ou outro ?
        Ou relaxa que tudo se encaixa ?
        🙂
        Obrigado por sua ajuda.

        Beijos
        Bia

      • Bia e demais mães de aniversariantes no meio do ano,
        Pergunta interessante a de vocês. Vou começar por responder ao terrorismo: não há a menor possibilidade dos filhos de vocês retrocederem. A criança tem uma criatividade incrível e, praticamente qualquer estímulo é utilizado por ela para construir algo que a divirta. A única coisa que pode fazer uma criança não evoluir seria uma privação social e isso não é o caso de nenhuma das suas crianças. Dito isso, é importante lembrar que cada criança é única. Não há como usar a data de nascimento como parâmetro para nada (exceto para quando dar as vacinas!). O que eu sugiro é que conversem com as professoras ou orientadoras educacionais e ouçam a opinião delas sobre qual seria a melhor turma para cada criança, individualmente. A prática é o critério da verdade. Independentemente de qual turma a criança fique, observe se seu filho ou filha está feliz, se divertindo, achando graça na escola. Se estiver, está na turma certa. Se não estiver, converse com as professoras e veja o que é possível fazer. Finalmente, para quase tudo, relaxem, que tudo se encaixa. Se alguém vem com uma regra rígida, educadamente ignorem.
        Espero ter ajudado. Se não ficou claro, me digam.

  2. Dr. Cooper,
    Seus comentários sempre ajudam e melhor, tranquilizam. Já já voce tera que fazer um post sobre: “8 motivos para não fazer pergunta num blog sobre pediatria”, hahahaha. Brincadeira !!!
    Não sabia se a pergunta cabia a um pediatra ou pedagoga, por melhor das hipóteses resolvi fazer, porque não ? Voce é sempre tão solicito ! 🙂
    Enfim, voltando as assunto, as coordenadoras dizem que existe uma idade certa para alfabetizar uma criança. Dado que a criança entre numa turma ” inferior” a idade dela ( idade em todos os sentido), certamente elas ” pulariam” uma turma para acontecer este encaixe, certo ?
    E isso é certo ?
    Pelo que falou sim, mas fica aquela pergunta do GAP entre uma turma ou outra porque se fosse a mesma coisa, não precisaria distinguir maternal 1 de maternal 2 ou 3… o importante é receber estimulo.
    😦
    Vamos ver o que vai acontecer com a Manuela, como comentou num dos seus posts, irei te dar um retorno sobre o que aconteceu conosco !

    Beijos

    Bia

    • Bia,
      Se pensarmos que os avós da Manuela não frequentaram maternal, simplesmente porque não existia e foram alfabetizados normalmente, se tornando adultos produtivos, dá para desconfiar dessas regras rígidas e divisões em maternal 1, 2 etc. Se precisar de um argumento mais sólido, o método Montessori, reune as crianças de 3 a 5 ou 6 anos, numa mesma turma. Idades heterogêneas, juntas. Portanto, não há uma verdade a respeito de idade certa para alfabetizar ou tipo de estímulo adequado por faixa etária. Toda vez em que eu vejo uma regra rígida para algo completamente variável como o desenvolvimento humano, desconfio muito. Se acreditarmos em regras rígidas, vamos achar que nossos filhos é que têm um problema (se ficarem fora da regra) e nunca vamos questionar se não é a regra que está errada! Estou convencido de que uma criança saudável, que vive em um ambiente de carinho e acolhimento será alfabetizada no momento em que for melhor para ela. Do mesmo modo que será desfraldada e tantos outros “marcos” do desenvolvimento. Você e as mães de aniversariantes do meio do ano podem ficar absolutamente tranquilas quando à alfabetização e desenvolvimento de seus filhos, independentemente de estarem no maternal 1 ou 2.
      Viu como o tema era bom?

      • Até que rendeu nao eh mesmo ? Ufa, seguirei com o plano maternal 1 e vamos a adaptação, te conto depois !!!
        Outro tema bem interessante para você abordar: o desfralde, quando e como fazer.
        Já que mencionou seria uma idéia para um próximo post.
        Mais uma vez obrigado pelo seu carinho.

        Beijos

        Bia

  3. Dr. Cooper,

    Meu filho tem 3 anos e 4 meses. Até então ficava com minha sogra enquanto eu trabalhava. Decidi colocá-lo em uma escola pois acredito que será bom para ele pois ele fará atividades que gosta como brincar de tinta, de massinha, etc. Além disso terá contato com crianças. Semana passada ele começou na escola em dias alternados e 2 horas apenas. Ele chorou mas ficou bem. Essa semana, por orientação da coordenadora pedagógica estou deixando o horário todo (das 8:00h as 12:00h). Ele chora muito para ir e a professora disse que ele chora bastante na escola até que se acalma e começa a fazer as atividades. Até ai acredito ser normal. O que está me preocupando é que durante a tarde ele tem ficado cabisbaixo e triste e de noite começa a ficar ansioso, chorar muito e diz que não quer dormir pois vai acordar para ir para a escola. Converso muito com ele. Digo que a escola é legal, que ele vai ter amiguinhos, vai brincar, etc. A Coordenadora pedagógica diz que é assim mesmo, mas estou preocupada. O que o senhor pensa sobre isso? Será que estamos falhando na adaptação?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s