DEVO DEIXAR MEU BEBÊ CHORAR?

Uma pergunta frequente que os pais se fazem é se devem deixar o bebê chorando ou se devem pegá-lo no colo? Existem mitos a respeito de se pegar um bebê que chora, no colo. Se pegar no colo, ele só vai querer o colo. Vai ficar mimado. O bebê precisa aprender, desde cedo, que não pode ter tudo que quer. Pior do que os mitos são algumas publicações que estimulam categoricamente os pais a deixarem seus filhos chorando, principalmente à noite, para que aprendam a dormir. Pessoalmente considero essa orientação absurda e prejudicial ao bom desenvolvimento da criança. Bebês que choram querem e precisam do colo. Nenhum colo dado com carinho e amor será prejudicial, tornará a criança uma tirana ou a transformará em mimada.

Para responder à pergunta se devo deixar meu bebê chorar, pedi à Dra. Eliane Volchan, professora no  Laboratório de Neurobiologia do Instituto de Biofisica Carlos Chagas Filho daUniversidade Federal do Rio de Janeiro que escrevesse um pequeno texto. A seguir, o texto da Dra. Eliane, que dá embasamento científico ao que nós humanos já sabíamos através da emoção.

O Choro do bebê- Dra. Eliane Volchan

Existe uma EXTENSA literatura científica sobre a vocalização de filhotes de várias espécies de mamíferos quando separados de suas mães ou de seu grupo, incluindo as regiões cerebrais envolvidas nesse comportamento (veja lista abaixo). Os filhotes tem um sistema de alarme não-aprendido que se manifesta bem cedo e sinaliza sempre que eles se separam dos adultos, enquanto que os adultos do grupo são extremamente sensíveis a esses sinais. Se assim não fosse, nossa espécie (e a de outros mamíferos) não teria sobrevivido, pois o maior risco à nossa sobrevivência é ficarmos sozinhos (particularmente as crianças)!

Recentemente, estudos mostraram em HUMANOS, que a dor da separação ativa as mesmas áreas cerebrais da dor física. Esses resultados levaram os autores a especular que a separação social equivale à dor física na sinalização de alarme para uma situação premente de perigo. Ou seja, os achados CIENTÍFICOS corroboram o bom senso demonstrando que, quando um bebê chora ao perceber sinais de separação (ausência de contato visual, auditivo e principalmente somático: contato físico corpo a corpo), seu cérebro está acionando o recurso máximo de alarme para uma ameaça à sua sobrevivência. Do mesmo modo, os adultos mais próximos são sensíveis a essa vocalização que provoca atitudes de socorrer e confortar bebê trazendo-o para perto de si e embalando-o.  A proposta de reprimir o impulso de pegar a criança no colo é, assim, absurda, pois viola umas das nossas reações mais básicas e fundamentais da nossa herança evolutiva.

Referencias:

– Eisenberger NI, Lieberman MD. (2004) Why rejection hurts: a common neural alarm system for physical and social pain. Trends Cogn Sci., 8: 294-300

– Eisenberger, N.I. et al. (2003) Does rejection hurt: an fMRI study of social exclusion. Science 302, 290-292

– Kirzinger, A. and Jurgens, U. (1982) Cortical lesion effects and vocalization in the squirrel monkey. Brain Res. 233, 299-315

– Krossa et al (2011). Social rejection shares somatosensory representations with physical pain. Proceedings of the National Academy of Sciences 108 : 6270–6275

– Lorberbaum, J.P. et al. (1999) Feasibility of using fMRI to study mothers responding to infant cries. Depress. Anxiety 10, 99-104

– MacLean, P.D. and Newman, J.D. (1988) Role of midline frontolimbic cortex in production of the isolation call of squirrel monkeys. Brain Res. 45, 111-123

– Robinson, B.W. (1967) Vocalization evoked from forebrain in Macaca mulatta. Physiol. Behav. 2, 345-354

– Stamm, J.S. (1955) The function of the medial cerebral cortex in maternal behavior of rats. J. Comp. Physiol. Psychol. 47: 21-27

Na próxima vez que o seu bebê chorar, pegue-o no colo e sinta que ambos estão felizes. Se alguém lhe disser alguma das barbaridades que são ditas por aí, repasse o texto da Dra. Eliane Volchan.

Gostaria de ouvir comentários dos pais a respeito de coisas que já ouviram com relação ao choro dos bebês. Se tiverem alguma dúvida, enviem que eu tentarei respondê-la.

50 pensamentos sobre “DEVO DEIXAR MEU BEBÊ CHORAR?

  1. Olá Dr. Cooper,
    Post polêmico hein ?
    Concordo com a abordagem porém nem sempre é fácil levar a teoria para a prática.
    Um dos piores problemas que enfrentei no inicio da maternidade foi o cansaço constante, diferente de tudo já vivenciado !!! Como foi difícil colocar a vida em ordem. Troquei muita noite por dia, dia por tarde e dia por outro dia. Se olhar para trás passou super rápido mas no momento em que vivi este início da maternidade foi muito desgastante.
    Fui realmente a exaustão e pedi por ajuda ! Li um livro, aconselhada pelo pediatra, em que eu deixava a criança chorar por um tempo e depois entrava no quarto e conversava com ela sobre o que estava acontecendo e o quanto eu a amava e o quão importante era aquela hora de descanso para toda a familia. O livro dizia que eu não podia tira-la do berço…e nem toca-la, mas eu não conseguia não tocar então fazia um carinho enquanto eu falava e ela chorava. Sofremos as duas…mas passados 4 dias ela entendeu ou aceitou… e eu agradeci ao Papai do Céu pela força e ao autor do livro pelo livro !
    Foi muito sofrido, concordo. Quase desisti, óbvio, pelas razões expressas em seu post.
    O que hoje acontece é que nós conhecemos melhor a nossa filha e sabemos exatamente o que ela quer. Ela adora a caminha dela, ela dorme super bem, 11h por noite, incrível !!! As vezes ela chora, acorda, pega a chupeta e dorme sozinha de novo, outras ela chora e quer só um carinho e outras ela chora e pede para dormir conosco ou pede por um mamá fora de hora. Não a deixo mais chorando no quarto, acordo todas as vezes, mas naquele momento eu precisava descançar e não me acho uma má mâe por te-la deixado chorar por um tempo.
    Bia

    • Bia,
      Claro que não é uma má mãe! Pelo contrário, é uma mãe carinhosa e amorosa. O fato de você e sua filha se entenderem bem é a prova disso. Quanto ao cansaço natural das mães, o que precisamos é de um envolvimento maior dos homens no cuidar dos bebês (ou das mães dos bebês). Um número enorme de homens ajudam e curtem cuidar de seus bebês. Mas, infelizmente, na população em geral, os homens se afastam, colocando um peso maior na mulher. Quando um homem participa e, melhor ainda, algum outro familiar pode ajudar, esse cuidado fica compartilhado e, nesse cenário, é possível se conciliar a teoria com a prática. Meu objetivo ao postar o texto da Dra. Eliane foi o de chamar a atenção para algo que é natural em nós (pegar um bebê chorando) e os riscos que teorias “disciplinadoras de bebês” podem ter. Acho importante você ter levantado o ponto do cansaço da mãe. Numa situação em que a mãe está exausta, pegar o bebê no colo pode ser algo forçado, difícil. Os sentimentos da mãe poderão ser de irritação e até raiva (normais). Nesse caso, melhor mesmo sair de perto por um tempo, colocar uma música, se distrair um pouco. Uma vez que as baterias estejam recarregadas, a mãe pode voltar para perto do bebê e fazer o que sua emoção determinar.

      • Prezada Paula,
        Obrigado por participar do blog. Estou publicando o seu comentário, porém, gostaria de informar que não consigo administrar o blog como um fórum onde os leitores troquem informações de foram direta. A narrativa de uma vivência ou experiência será sempre bem-vinda. Mas, para evitar alguns “efeitos colaterais” de trocas de opiniões entre leitores, incluindo agressividade e desrespeito, costumo não publicar esse tipo de comentário. Faço esse esclarecimento da forma mais respeitosa possível. Espero que compreenda esta limitação do blog (ou minha).

  2. Dr. Cooper, tenho uma bebe de 25 dias e tenho tentado me informar o maximo sobre esse assunto. Ao sairmos da maternidade somos logo orientados e previnidos sobre as “manhas” e “malandragem” dos bebes. No inicio, ainda mais no meu caso de mae de primeira viajem, ficamos confusas sobre como agir. Nesses 25 dias percebi que sempre que a minha bebe chora ela esta sentindo algo de fato, percebi que sofre bastante com gases e que alem da massagem que faço, as vezes ficar um pouquinho no meu seio a acalma fazendo com que consiga se liberar! Nas vezes de tentei seguir a orientaçao de deixa-la chorando percebi que ela ficava mais insegura e nervosa e ai sim queria mais ainda ficar agarrada em mim. Me propus a atende-la sempre. Seja por dor e fome, ou simplesmente afeto e bricadeiras e ela responde sentindo-se mais calma – fica bastante tempo no carrinho e me chama quando quer algo (alem disso de duas em duas horas troco a fralda e lhe ofereço mama quando ela nao pede, durante o dia), dorme a noite inteira sosinha no seu berço e eu em contrapartida me sinto mais realizada e feliz e menos cansada por deixa-la feliz e confortável. Quanto ao desgaste natural, ele diminui quando assumimos esse papel plenamente e o tornamos prazeroso, na minha opinião. Claro que cada mãe deve seguir o seu sentimento e fazer o melhor pelo seu filhote!

    • Prezada Cassia,
      Seu depoimento é uma aula de como ser mãe – seguir suas emoções e ousar. Nada de regras fixas, tanto mais algumas sem fundamento algum como supor que um bebê de dias é capaz de “manhas” ou “malandragens”. Um bebê pequeno precisa do colo de seus pais, muito. Você percebeu o quanto seu colo faz bem à sua filha e o quanto deixá-la chorando era angustiante para todos! Continue seguindo seus sentimentos, ousando ocasionalmente e, assim, tendo um enorme prazer de ser mãe e não um robô que obedece a comandos dados por terceiros (pediatras, livros, familiares, vizinhos etc.). Parabéns!

  3. Olá Dr Roberto.
    Gostei muito do que li e este post me deixa mais segura quanto a minha maneira de agir com minha filha. Tenho uma linda bebezinha de 10 meses e até hoje ela não dorme bem (nesta noite mesmo ela acordou 4 vezes), entretanto nos primeiros 6 meses era pior. Quando eu ia ao pediatra (procurei 3 pediatras por esse motivo), eles sempre me recomendavam deixá-la chorar. Uma pediatra chegou a dizer que minha filha era manhosa e egoísta, disse que se eu continuasse a tender seus pedidos ela seria uma criança insuportável e um adulto com tendência ao uso de drogas!
    Eu sofri muito tentando não pegá-la, passei noites e noites ao redor do seu bercinho tentando acalmá-la sem sucesso até que desisti, ouvi meu coração de mãe e voltei a pegá-la no colo. Consegui tirar a mamada da madrugada aos 9 meses, mas ela ainda acorda á noite e chora querendo colo (e eu dou). Percebi que com o tempo ela vem dormindo um pouco melhor e aceitei o SEU padrão de sono.
    Agora, tenho feito o que meu coração manda e não fico dando muito ouvidos aos que me mandam deixá-la char

  4. Olá Dr Roberto…
    Tenho uma princesinha de 2 meses que chora constantemente quando não está no peito. Durante todo o dia ela tem que ficar comigo no peito, fora isso ela chora. Ela tem pouca cólica e quando tem, é em horários já definidos, faço massagens e fica tudo bem.
    Já recebi conselhos diversos, “Deixar chorar até dormir” “Deixar chorar cada dia por mais tempo até o bebê desistir” “Não deixar chorar”. Confesso que estou bem dividida, pois me sinto exausta e ela não me deixa fazer nada. Já tentei a chupeta e ela não pega. Ela dorme no peito e quando sai fica no colo, quando tento colocar na cama ela desperta e chora, o dia gira em torno disso (Será que ela está fazendo do meu mamilo uma chupeta?). Ela toma complemento pois não tenho leite suficiente, porém mesmo depois de tomar uma mamadeira cheia ela quer voltar para o peito para mamar e dormir no meu colo. A pediatra dela me orientou a deixar chorar por um tempo e depois conversar com ela para acalmá-la, mas isso não funcionou. Realmente não sei mais oque fazer!

    • Prezada Jaqueline,
      Não tenho uma resposta precisa para você. Diria para seguir o que o seu coração disser. Bebês pequenos, como sua filha, precisam de colo e não ficam “mimadas” nesta idade. Mas, acho que deve avaliar seu cansaço e disponibilidade também. Pessoalmente sou contra medidas disciplinadoras de bebês como deixar chorar até que “aprendam”. Acredito que possa manter o colo e tentar obter a ajuda de outras pessoas para dividir esse colo. Só sei que se seguir sua emoção, vai acertar, sempre! E, quando não acertar, corrige e vai em frente. Ser mãe é um processo de tentativa e erro. Não precisa buscar a perfeição. Busque apenas ser quem você é.

  5. Olá. Adorei o post e gostaria de acrescentar – tenho 63 anos e tive dois filhos – que cada criança já nasce com suas características e potenciais. Alguns bebês se mostrarão mais dependentes e outros menos. Acredito mesmo que ao contrário das “medidas disciplinares”, é preciso que a mãe tenha suporte do ambiente para que possa entender o que se passa com o seu bebê e se adaptar às necessidades dele, que nesse momento precisam ser atendidas. Concordo com o dr. de que limites e regras vão vir mais adiante. À medida que o bebê se desenvolve, ele vai também se tornando mais capaz de tolerar as frustrações do dia a dia, como esperar pela mamadeira, ouvir os barulhos dos movimentos da casa, enquanto não chega o “auxílio” – isso irá dando a noção de realidade e de separação da mãe. Mas não é nenhuma sangria desatada. Melhor seguir os instintos de mãe. Quase matei minha filha de fome (a mais velha) por seguir conselhos do pediatra de então – que nunca desse mamá de madrugada. No final de um mês ela estava com o mesmo peso com que nasceu. Nunca mais segui esse tipo de conselho, e no segundo foi tudo mais tranquilo.

    • Prezada Heloisa,
      Muito obrigado por seu comentário. Tenho a certeza de que seu depoimento, baseado na sua vivência e não em teorias, ajudará muitas mães a ousarem um pouco mais. Por um lado, se libertando de regrinhas e normas “médicas” que não possuem nenhum fundamento. Por outro, aceitando que não precisam ser perfeitas e que seus filhos, ao crescerem, também saberão tolerar frustrações e que as mães podem (devem) ter suas prioridades e interesses na vida, além dos filhos. Obrigado por enriquecer o blog!

  6. Bom dia doutor Roberto!
    Eu vivo um dilema… tenho um bebe de dois meses e meio e moro com minha mãe ainda. Meu bebe gosta muito de colo, raramente dorme no carrinho ou no berço durante o dia e quando dorme nao o faz por mais que uma hora, no maximo uma hora e quarenta minutos. De noite ele dorme muito tarde tipo meia noite e minha fica falando na minha cabeça que o problema de sono do meu bebe é porque o meu leite nao o sustenta… Estou ficando doida e triste com isso pq nao sei como agir, a pediatra falou que ta tudo normal com meu filho, que ele ganha peso e tudo mais mas, minha mae nao me deixa em paz. Eu percebi que o meu bebe é bem preguiçoso na hora de mamar, ele pega no peito e ja quer dormir ai mama super pouco, eu acho que ele ta mamando so aquela agua que sai do peito primeiro e por isso nao fica totalmente satisfeito pra dormir bastante. To tao triste e confusa…

    • Prezada Vania,
      Se o seu pediatra, após pesar e medir o seu bebê, constatando que ele ganha peso, lhe diz que está tudo normal, você pode ter a certeza absoluta que seu leite o sustenta. Nesse contexto, isso não é passível de discussão. Por outro lado, bebês com menos de três a quatro meses possume um ritmo de sono irregular. Dormem pouco, picadinho e ainda não fazem nenhuma diferença entre noite e dia. Bebês dessa idade precisam de carinho e cuidado e o colo é exatamente isso. Relaxe e continue fazendo o que seu coração disser para fazer. Quanto ao seu leite, melhor não há. Se tiver dúvidas, pergunte ao seu pediatra.

  7. Dr. Roberto:
    Muito bom o teu texto (como sempre !!!!!!)
    É muito bom ouvir estas colocações porque há muita polêmica em torno disto e às vezes nós, os pais, ficamos perdidos. Acho que para o senso comum falta a noção do tempo de desenvolvimento da criança. Cada fase é diferente e possui características peculiares. Uma coisa é a gente ter que educar uma criança sobre limites, bom comportamento, etc. Outra coisa é querer fazer isto com um recém nascido !!!! O cérebro dele não está nesta fase de compreender limites. Tadinho. Ele ainda está perdido em um mundo hostil, diferente daquele que ele tinha na barriga da mãe.
    Ultimamente tenho visto extremos de pais deixando crianças grandes fazerem o que querem e outros querendo impor supostos limites em recém nascidos.
    Os pais precisam conhecer em que FASE seus filhos estão.
    Enfim, sei que não é fácil.
    Atualmente estou às voltas com tentar ou não “disciplinar” o sono do Henrique. Mas pelo que conversamos, pelo post desta cientista e outros livros sérios que li, acho que as crianças têm seu próprio tempo de fazer isto. O Henrique dorme à noite e fica acordado de dia (geralmente com uma soneca de manhã e outra à tarde). Bem, considero que isto já é um grande desenvolvimento: ele já sabe diferenciar o dia da noite !!!! Rsrsrssrsrs. O que já é importantíssimo.
    Ele dorme à noite mas acorda uma ou duas vezes durante a noite pra mamar. Como ele é um bebê calmo e tranquilo, creio que ele vai achar o tempo dele de se desenvolver a ponto de dormir uma noite toda sem pedir comida. Vou aguardar.
    Abraços
    Lorelai

    • Prezada Lorelai,
      Obrigado por seu comentário. Não tenho a menor dúvida de que você e o Henrique vão descobrir o seu jeito de conduzir a questão do sono, sem seguir regras. Regras podem ser úteis para dar uma certa direção, mas, nunca serão boas porque não foram escritas para o Henrique. Foram escritas para uma criança média e essa criança não existe!
      Acredito que seu comentário irá ajudar muitas mães, bem como o belíssimo comentário que fez sobre cólicas, onde divulga o que é mais importante para um bebê que chora: ser colocado no colo para se sentir amparado e seguro.

  8. Com meu bebê de 45 dias tenho o atendido sempre que chora, hoje mesmo ele quis colo o dia todo, claro que é cansativo, sobrecarrega meus afazeres, pois o atendo o tempo todo, mas não são todos os dias que ele fica assim e o primeiro mês passou tão rápido!! Algumas vezes quando estou fazendo alguma atividade (lavando as roupinhas dele, por exemplo) e ele chora, eu o deixo chorar até terminar a atividade e em seguida fico com ele a tarde toda se for preciso e não me culpo por isso, pois lido com minha casa e o bebê sem ajuda de ninguém! Em dias como hoje que estou a horas com ele no colo, pois nem no bebê conforto consegui deixá-lo, eu me questiono se ele não sentirá minha falta quando retornar ao trabalho e não poder dar toda a atenção que hoje estou dando a ele, tenho medo da distância atrapalhar na auto estima do meu filho. Estou no caminho certo?
    Grande abraço.
    Vanessa Oliveira

    • Prezada Vanessa,
      Um bebê de 45 dias precisa de colo. Sugiro que não antecipe a preocupação com o momento em que retornará ao trabalho. Quando isso acontecer, você continuará dando o seu carinho quando estiver com ele e, certamente, terá alguém que irá cuidar dele, mesmo que fique numa creche. Lembre-se que, quando voltar a trabalhar, seu bebê também estará um pouco mais velho, o que já faz uma diferença com relação a hoje. Portanto, segure seu bebê no colo o quanto puder, hoje.

  9. Excelente este post! Pois vem de encontro o que penso. Tenho lido bastante a respeito do sono dos bebês. E vejo cada coisa de arrepiar. Além de ouvir outras tantas de pessoas que, do alto de suas experiências pessoais, nos ditam regras como sendo absolutas. Sempre acreditei que bebês não possuem maturidade psicológica e nem neurológica de manipilação. E o texto da Dra. Eliane só vem comprar isso. Meu bebê de 10 meses pouco chorou quando recem nascido. Teve gases e alguns desconfortos próprios do período até os 30 dias. Após isso não chorava. Mas nunca dormiu a noite toda. Até hoje acorda a cada 2 horas para mamar. E lhe atendo com a mesma presteza e carinho de quando tinha apenas algumas horas de nascido. Outra coisa que ouço muito, não durma com o seu bebê. Ele irá ficar mal acostumado e depois não irá querer sua própria cama. É claro que não dormi com ele antes dos 6 meses. Justamente pelo fato de evitar que o cansaço e o sono mais pesado pudessem causar algum tipo de acidente faltal. Porém, hoje, por volta das 3 am, o coloco em minha cama e dormimos os 3 felizes da vida. E ele continua a ser um bebê que pouco chora. Quando chora o atendo. Desde o inicio rejeitei essa história de treinamento do sono. Por que deixar um bebê que pouco chorava, chorar para que dormisse a noite toda? Isso não fazia o menor sentido. Ouvi inúmeros outros “conselhos”quanto as mamadas noturnas. Que eu deveria ter tirado aos 2 meses. Que depois seria praticamente impossivel. Cheguei a ouvir que meu bebê tem leite materno em excesso. Porém meu termômetro é o meu coração. E ele me diz que por enquanto estou no camiho certo. Vejo meu bebê crescendo de forma saudável, alegre feliz e lindo. Atualmente já come de tudo e continua a mamar muito bem. Pesa exatamente 10,600kg. É claro que tenho muitas dúvidas, afinal sou mãe de primeira viagem. E é por isso que vou atras de rspostas e de informações. Esse blog foi um achado em tanto. Tenho que agradecer a minha amiga por ter nos indicado. Mais uma vez obrigada Dr. Roberto pela presteza nas respostas e por nos presentear com textos informativos e esclarecedores.

  10. Dr. Roberto amei esse post e vou divulga-lo, hoje minha filha tem 11 meses, mas nunca a deixei chorar muito, pois sou sabedora que choro de bebê significa algo de importante, pois bebê recém-nascido chora em alguns casos: fome, frio e medo, então deixei todos me chamarem de louca e que minha filha iria me controlar, mas fiquei firme e nunca deixei de passar para ela o amor e acolhimento, logo todo RN passa por um longo período em contato com a mãe(gestação), então esse é um processo longo, cansativo (quase n dormia), mas fiquei firme, hoje ela continua dormindo só no quarto dela e por menor que seja, sabe que na hora q ela acordar estarei do ladinho dela, então hj ela não chora na madrugada quando acorda, fica brincando no berço.É cansativo, mas vale a pena, quem não gosta de ser bem acolhido e amado??? Essa foi a educação que tive e vou perpetua-la.

    • Prezada Liana,
      Obrigado por sua participação no blog com esse belo depoimento. Sua vivência comprova que colocar um bebê no colo não o “estraga” nem mima. Você hoje tem uma filha de onze meses que não chora de madrugada e, quando acorda, fica brincando no berço. Parabéns!

  11. eu tenho gêmeas que choram muito e ao mesmo tempo elas fazem tudo ao mesmo tempo ,e eu to ficando muito chateada pq as vezes e preciso deixar uma neném chorando ,e tbn pq tenho que atender rápido uma bebe para poder atender a outra e é complicado eu preciso de um conselho urgente por favor..

    • Prezada Talita,
      Com gêmeas, é complicado mesmo. Se com um bebê já não é fácil, com duas então, fica realmente muito mais difícil. O ideal é que pudesse contar com a ajuda de alguém como o pai, tia ou avó. É humanamente impossível, atender a ambas, assim que solicitam.

  12. Eu tenho mts duvidas sobre minha filha ela tem um mes d vida n sou mae d primeira viagem o problema q minhas filhas tem entre 14 e 21 anos d idade eu ja esqueçi mts coisas me ajudem a tirar minhas duvidas obrg

  13. Obrigado minha filha n pega o leite d peito dou p ela aptamil meu marido axha q eu devo dar leite ninho mas tenho medo porque ela so tem um mes

    • Prezada Simone,
      O leite de vaca integral (Ninho ou outros) não é recomendado para crianças menores do que um ano. Converse com o pediatra a respeito das opções de fórmulas infantis existentes que são adequadas para bebês cujas mães não podem, por qualquer motivo, amamentá-los no peito.

  14. Tenho um filho de 6 meses, que chora por muitas vezes para ficar próximo e no colo. …..Estou tendo problemas sérios porque meu marido acha que ele tem que aprender a chorar somente quando estiver precisando (fome, sujo, dor. …), Está bem difícil , tudo muito confuso…. Qual a melhor forma para educar meu filho , sem deixar meu filho mimado e pirracento?

    • Prezada Adriana,
      Aos 6 meses um bebê expressa sua vontade através do choro, sem que seja pirraça. Pirraça exige uma certa intencionalidade que um bebê de 6 meses ainda não tem. Por outro lado, esta é uma idade, diferentemente do bebê menor, até uns 5 meses, onde alguma frustração normal da vida já pode ser introduzida. Isto é, não há mais a necessidade de atender, imediatamente, às mandas da criança, permitindo que comece a desenvolver sua capacidade de auto-consolo. Não há uma regra, nem é uma situação onde se pega ou não se pega no colo. É uma fase de transição, difícil para a mãe que fica com o coração apertado em deixar seu bebê chorar um pouco. Não há mal nenhum em pegar seu filho no colo. Isso não fará dele um mimado. Não agora aos 6 meses de idade. Mas, por outro lado, deve começar a desenvolver no seu filho (e isso é uma função de pais amorosos), a capacidade dele, progressivamente, lidar com a frustração ( não ter tudo que quer, na hora que quer, do jeito que quer). O ideal é que converse com seu pediatra de uma forma franca. Estas questões comportamentais e de transição merecem mais tempo do que uma resposta “fria” no blog.

  15. Oi Dr. Roberto!!!
    Meu bebe tem 26 dias hoje, mama no peito e formula Aptamil pois tenho pouco leite materno…
    Ele também chora muito tanto de dia como de noite tem noites que ele acorda 5 vezes, só dorme se ninar, ou no carrinho balançando, quer ficar o dia todo no colo e muitas vezes só para de chorar se eu bater no bubum dele pra ele dormir(leves tapinhas pra ninar), caso contrario é o tempo todo chorando, passei muito estresse na minha gravidez, de até passar mau mesmo, será que isso pode ter prejudicado meu bebe…
    Tenho ouvido muito que eu tenho que criar uma rotina com ele, mas eu não acredito muito nessas coisas de rotina, dar banho todo dia na hora certa, colocar pra dormir na hora certa, e etc…
    Esta um pouco dificil pra mim pois tenho outro filho de 5 anos que exige muito de mim também.
    Devo começar a seguir uma regra, ou devo tirar essa paranoia de regra da minha cabeça.

    • Bom.dia douror cooper minha filha vai fazer tres meses dia sete agora desde q nasçeu ela engasga solta uma baba branca como fosse catarro solta leite pelo nariz faz um barulho na garganta ela tm refluxo quando aconteçe isso fica s folego fico desesperada quando aconteçe isso me oriente por favor meu nome simone obrg

      • Prezada Simone,
        O Conselho Federal de Medicina proíbe, com razão, que médicos deem consultas pela internet. Por esse motivo, o blog não substitui uma consulta médica. Opinar sobre sua filha, sem conhecê-la ou tê-la examinado, seria uma irresponsabilidade minha. Espero que compreenda esta limitação da internet. Sugiro que procure um pediatra, para que este possa lhe orientar.

  16. Olá De. Tenho a filha de 10 meses que não desgruda de mim. Eu a coloco na sala,no chiqueirinho dela com os brinquedos dela para que possa assistir os desenhos que sei que ela gosta enquanto rapidamente vou dar um jeitinho na casa mas não da. Ela chora e chora loucamente. As vezes ela até vomita de tanto chorar. Já tentei deixar solta no cão mas também não adianta. Além de ser arriscado ela vem atrás de mim chorando. Eu estou muito irritada com isso porque já não sei oq fazer. Me ajudem!!!!!

    • Prezada Gabriella,
      Opinar sobre questões comportamentais pela internet seria superficial e irresponsável de minha parte. Sugiro que converse com seu pediatra e, eventualmente, um psicólogo, para que lhe orientem. Em geral, a dificuldade maior é do adulto. A criança está no papel dela e “manipula” o adulto.

      • Dr . minha BB tem 10 meses e de duas semanas ele vem chorando incansavelmente…. N fica no berço ,n no carrinho , no chão com ninguém!!!! Só chora o que posso fazer???estou esgotada

      • Prezada Jaqueline,
        O Conselho Federal de Medicina proíbe consultas pela internet. Opinar sobre a sua filha seria irresponsabilidade minha. Sugiro que consulte o pediatra para que ele a oriente.

  17. Boa tarde, Dr Cooper,

    Gostei muito da abordagem de seu texto sobre deixar as crianças chorarem ou não. Tenho uma bebê de 7 meses e venho ouvindo tanto da minha mãe quanto do pediatra, que tenho que deixá-la chorar durante a noite quando pede colo e insistir para que não queria mais a mamada da madrugada. Como mãe de primeira viagem, foi o que tentei fazer ( deixando -a chorar e se acalmar sozinha e usando a chupeta para acalmá-la). Após algumas semanas exaustivas e com pouco sucesso, percebi que esta situação estava causando estresse e desgaste em ambas nós duas. Por outro lado pensava: como contrariar a opinião de minha mãe que criou 3 filhos e do médico? As outras mães com quem conversava achavam um absurdo eu não ter conseguido tirar essa mamada da madrugada e sempre acalmar a minha filha, ao invés de deixar chorá-la, todas as vezes que acordava de madrugada. Tirei um peso das costas depois de ler o seu texto. Foi como ouvir on que estava precisando ouvir. Que devo seguir o meu coração. Que os bebês tem o seu tempo e displina e regras podem ser introduzidas com sucesso posteriormente. Farei isso. Vou seguir o meu coração. Obrigada

    • Prezada Joyce,
      Obrigado por participar do blog com seu depoimento. De fato, deve seguir seu coração. Mas, à medida que a criança cresce, uma das formas de darmos amor é colocando limites ou introduzindo a frustração. Não para gerar desconforto na criança, mas, para que possa, aos poucos, desenvolver a capacidade de se virar e tolerar frustrações, que fazem parte da nossa vida cotidiana. Sucesso!

  18. Dr. Eu faço cama compartilhada desde que o bebe nasceu, mas agora ele já está com 75 dias e não fica no berço no carrinho na cadeirinha de balanço em lugar algum só quer ficar no meu colo.
    A noite a partir das 19hs ele já começa a chorar e só quer o meu colo não consigo deixar ele sozinho chorando tenho medo que ele se sufoque sei lá.
    O fato é que não sei mais o que fazer ele fica no meu colo o dia inteiro eu não consigo fazer nada , não posso mas continuar assim sinto que estou no meu limite desde que ele nasceu não sei o que é dormjr 3 horas tranquila. –

    • Prezada Cintia,
      Sem dúvida, deixar um bebê pequeno chorar, não faz o menor sentido. Claro que o amor é fundamental na educação de uma criança. Mas, é importante lembrar que o amor, a partir de uma certa idade, deve se manifestar através da colocação de limites. Amor não é só dizer sim para tudo. Pelo contrário, a criança precisa de nãos bem colocados para se desenvolver de forma a se tornar um adulto que se integre numa vida em coletividade.

      • Certamente!@ Amar também é dizer não. Na verdade é essencial. Ainda mais na criação de uma criança. Minha filha tem 1 ano e já até sabe fazer não com a cabeça de tanto que eu falo…rs

  19. Olá Dr.,
    Meu bebê de 40 dias há uma semana começou a chorar sem parar quando está só no carrinho/berço/cama. Antes de pegá-lo ao colo, verifico se o choro não tem outras origens como fralda, frio, calor, dor e fome. Mas no momento, estou passando por duras críticas e me sinto muito culpada. Sou mãe de primeira viagem, toda vez q isto acontece escuto q estou o deixando mimado ao pegar no colo.
    Doutor, tentei escutar os conselhos e deixar chorar… Foram os 10 minutos mais angustiantes q senti desde o seu nascimento. Hoje depois de ler sua publicação, eu e meu esposo decidimos não dar ouvidos as pessoas e seus conselhos. Esta fase passa muito rápido e acreditamos que se não seguirmos nossos corações, daqui um tempo ele estará maior e independente e aí teremos outra culpa: DEVÍAMOS TER DADO COLO QUANDO PEDIU, AGORA JÁ É CRESCIDO E SUAS NECESSIDADES SÃO OUTRAS.
    Muito obrigada pelo texto!
    Quando estou cansada, o papai me ajuda com o colinho. Estamos nos sentindo mais aliviados e felizes em cooperar com nosso pequeno em seu pedido de atenção e amor.
    Grata,
    Ana Paula, Edilson e o nosso pequeno príncipe Heitor

    • Prezada Ana Paula e Edilson,
      O Heitor precisa, nesta fase da vida de muito colo e carinho. Não tenham medo do risco de mima-lo. Quando ele estiver com 6 meses ou mais essa conversa muda um pouco. Até lá, não se preocupem. Ignorem o que dizem, sigam seu coração.

  20. Dr. Boa noite,

    Tenho tido muita dificuldade, pois meu bebê completou 1 ano e agora tem feito verdadeiros escândalos para dormir sem ser no peito mamando. Ao mínimo movimento ele reage e deixa a mim e meu marido completamente estressados. Estou preocupada se é normal este comportamento e se devo continuar dando colo a cada chamada. 1 ano já deveria estar entendo nos eixos, não? Pode me dar uma luz?

    • Prezada Gabrielle,
      Questões comportamentais são complexas e responder pelo blog seria superficial ou irresponsabilidade minha. Sugiro que converse com seu pediatra para lhe orientar. De um modo geral, crianças de um ano não estão “entrando nos eixos”, ainda. É nesta fase que os pais iniciam mais intensamente o trabalho de “colocar nos eixos”, pela introdução dos limites, de forma carinhosa e contínua.

      • Dr. as duas palavras: “carinhosa” e “continua” já me estimula muito. Agradeço em afirmar que ainda estamos na fase de adaptação. Me traz luz e esperança. Muito obrigada, Dr. Roberto. pelo alento e pela atenção que senti na sua resposta. Continuarei com as energias renovadas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s